História do Basquete Feminino

O Basquetebol teve iniciada sua prática no Brasil no ano de 1896, no Mackenzie College, instituição de ensino anglo-americana, situada na cidade de São Paulo – SP, através do professor norte-americano Auguste Farnham Shaw. Inicialmente o novo esporte foi praticado por mulheres, alunas internas do Mackenzie e, logo a seguir, pelas alunas do Instituto de Educação Caetano de Campos, também na cidade de São Paulo. Este início ajustou-se às concepções de James Naismith, criador da modalidade, que considerava o basquetebol um jogo perfeitamente adequado ao sexo feminino. Tanto é, que as duas primeiras publicações sobre o basquetebol no Brasil foram dirigidas particularmente às mulheres. O primeiro artigo sobre o tema foi editado em 1905 no Brasil, publicado na então existente “Revista do Ensino” de autoria de Carolina G. Smith. O texto apresentava as origens e as regras do jogo de basquetebol, bem como enaltecia os benefícios que a modalidade de esporte proporcionava às mulheres. Em 1911, o mesmo artigo foi impresso em folheto pela Editora Siqueira, Nagel & Cia. Em 1915, Estevan Lange Adrien e José Campos Camargo publicaram o livro “Jogos Gymnasticos”, o qual apresenta as regras e regulamentos do jogo de basquetebol, orientadas especificamente para o público feminino. Diante destes fatos, Moacir Daiuto (1991) confirma que o basquetebol, por ser um jogo cuja natureza inibe os empurrões e o maior contato físico, realmente tenha se apresentado como ideal para o sexo feminino. A mesma fonte – hoje clássica no basquetebol brasileiro – cogita que a difusão do jogo foi ligeiramente prejudicada em algumas partes do mundo, justamente em razão de ter sido considerado um “esporte para moças”. Desde então, muitas tentativas foram feitas no Brasil, assim como em outros países, no sentido de alterar as regras que prevalecem no jogo feminino em relação ao masculino. A diminuição da altura do aro, por exemplo, teria o propósito de deixar o jogo mais atraente tanto para as praticantes quanto para os espectadores. As propostas ainda encontram resistências e, portanto, as mulheres continuam jogando em nosso país e em qualquer parte, de acordo com as regras da Federação Internacional de Basketball – FIBA, utilizando a mesma regulamentação das equipes masculinas, incluindo o tamanho e peso da bola.

1940:
O primeiro campeonato brasileiro feminino foi promovido pela Confederação Brasileira de Desportos – CBD, sendo a equipe de São Paulo a campeã.

1946:
O Brasil fez sua primeira participação feminina no Campeonato Sul-Americano de Seleções no Chile, onde obteve a medalha de prata. O técnico da equipe foi Felício Fernandes.

1953: A equipe feminina obteve a 4ª posição no 1º Campeonato Mundial, realizado no Chile, tendo Mário Amâncio Duarte foi o técnico.

1955: Conquista da medalha de bronze nos 2º Jogos Pan-Americanos, na Cidade do México. Esta foi a primeira participação da equipe feminina nestes Jogos. Novamente Mário Amâncio Duarte foi o técnico da equipe.

1957: A equipe feminina obteve a 4ª posição no 2º Campeonato Mundial, realizado no Brasil.

1959: A Seleção Nacional sagrou-se vice-campeã do 3º Jogos Pan- Americanos, em Chicago.

1963: Conquista da medalha de prata nos 4º Jogos Pan-Americanos, em São Paulo.

1964: A equipe feminina classificou-se em 5º lugar no 4º Campeonato Mundial, realizado no Peru.

1967: A equipe feminina obteve a 8ª posição no 5º Campeonato Mundial, realizado na Tchecoslováquia. No mesmo ano, ocorre a conquista da medalha de ouro nos 5º Jogos Pan-Americanos, em Winnipeg. O Técnico da equipe foi Renato Brito Cunha.

1971: A equipe feminina conquistou a 3ª posição no 6º Campeonato Mundial, realizado no Brasil. Nos 6º Jogos Pan-Americanos, na Cidade de Cáli, a Seleção Nacional sagrou-se campeã. O Técnico da equipe foi Waldir Pagan.

1975: A equipe feminina obteve a 12ª posição no 7º Campeonato Mundial, realizado na Colômbia. Nos 7º Jogos Pan-Americanos, realizados na Cidade do México, a Seleção Nacional obteve a 4ª colocação.

1979: A equipe feminina obteve a 9ª posição no 8º Campeonato Mundial, realizado na Coréia do Sul enquanto a Seleção Nacional atingiu a 4ª colocação nos 8º Jogos Pan-Americanos, em San Juan – Porto Rico.

Décadas de 1950-1970: A vitória no Sul-americano de 1954 alavancou o basquetebol feminino brasileiro em direção a um momento de plenitude internacional. Primeiramente o destaque é Pan-Americano, com dois vice-campeonatos (1959 e 1963) e com duas medalhas de ouro (1967 e 1971). A medalha de bronze no Campeonato Mundial de 1971 colocou definitivamente o Brasil no cenário internacional. O desempenho em 1971 produziu repercussões tanto internas quanto externamente ao País. O basquetebol de Maria Helena, Heleninha, Laís, Norminha, Nilza e Marlene, entre outras, ultrapassou as fronteiras da América do Sul e transformou- se em fato internacional.

1983: A equipe feminina classificou-se em 5º lugar no 9º Campeonato Mundial, realizado no Brasil. Nos 9º Jogos Pan-Americanos, em Caracas, ocorreu a conquista da medalha de bronze.

1986: A equipe feminina obteve a 11ª posição no 10º Campeonato Mundial, realizado na União Soviética.

1987: A Seleção Nacional conquistou a medalha de prata nos 10º Jogos Pan-Americanos, em Indianápolis.

1989: Conquista da medalha de prata na 1ª Copa América.

Décadas de 1980-1990: Nos anos de 1980, o Brasil assistiu a uma saudável rivalidade entre duas das maiores jogadoras do basquetebol mundial, Paula e Hortência, e entre suas respectivas equipes. O fato colaborou de forma decisiva no desenvolvimento do basquetebol brasileiro propiciando a conquista de títulos significativos na década seguinte. Neste período, o basquetebol feminino brasileiro manteve-se entre as três melhores Seleções da América, mas nos Campeonatos Mundiais houve um decréscimo de resultado em relação ao Mundial de 1971. Com a Seleção Nacional totalmente renovada, vinte anos depois do Ouro no Pan-Americano de Cáli e do bronze do Mundial de 1971, o Brasil ressurgiu impulsionado pela medalha de ouro no Pan- Americano de Havana em 1991. Esta é a geração de Paula, Hortência, Marta, Alessandra e Janeth, entre outras. É nesta década de 1990 que o Brasil consegue sua primeira participação nos Jogos Olímpicos (Barcelona, 1992). O ápice deste período do Basquetebol feminino brasileiro se dá com a vitória obtida no Campeonato Mundial da Austrália, em 1994, e nos Jogos Olímpicos de Atlanta em 1996, com a obtenção da medalha de prata.

1990: A equipe feminina obteve a 10ª posição no 12º Campeonato Mundial, realizado na Malásia.

1991: A Seleção Nacional sagrou-se campeã dos 11º Jogos Pan- Americanos, em Havana. A técnica da equipe foi Maria Helena Cardoso. No mesmo ano, a Associação Desportiva Classista Banco de Crédito Nacional atingiu a 2ª colocação no 1º Torneio Mundial de Clubes.

1992: A equipe feminina participou dos Jogos Olímpicos de Barcelona, terminando na competição na 7ª posição. Esta foi a primeira participação da equipe brasileira nos Jogos Olímpicos. A técnica da equipe foi Maria Helena Cardoso. Neste ano, a equipe do Leite Moça (equipe patrocinada pela Nestlé que tem denominação de produto comercial) de Sorocaba – SP atingiu a 2ª colocação no 2º Torneio Mundial de Clubes.

1993: Conquista da medalha de prata na 2ª Copa América. No 3º Torneio Mundial de Clubes, a N. C. N. B. Ponte Preta atingiu a 1ª colocação.

1994: A equipe feminina sagrou-se campeã do 12º Campeonato Mundial, realizado na Austrália. O Técnico da equipe foi Miguel Ângelo da Luz. Também neste ano, o N. C. N . B. Ponte Preta atingiu pela segunda vez a 1ª colocação no 4º Torneio Mundial de Clubes, e a equipe dos Leites Nestlé/Sorocaba fez-se campeã do 1º Campeonato Pan-Americano de Clubes Campeões – o que se repetiu no ano seguinte.

1996: A equipe feminina participou dos Jogos Olímpicos de Atlanta, conquistando a medalha de prata. No mesmo ano, o Clube Atlético Sorocaba foi Campeão do 3º Campeonato Pan-Americano de Clubes Campeões.

1997: A Seleção Nacional sagrou-se campeã da 3ª Copa América. No mesmo período, a equipe Data Control-SP atingiu a 1ª colocação na 6ª edição do Torneio Mundial de Clubes, enquanto que Janeth Arcain torna-se a primeira brasileira a jogar na Women National Basketball Association – WNBA, versão feminina da liga profissional Norte-Americana, National Basketball Association – NBA.

1998:
A equipe feminina obteve a 4ª posição no 13º Campeonato Mundial, realizado na Alemanha. Igualmente a Associação Banco de Crédito Nacional atingiu a 1ª colocação no 7º Torneio Mundial de Clubes.

1999: A Seleção Nacional atingiu a quarta colocação nos 13º Jogos Pan-Americanos, em Winnipeg.

2000: A equipe feminina participou dos Jogos Olímpicos de Sydney, conquistando a medalha de bronze.

2001:
A Seleção Nacional sagrou-se campeã da 4ª Copa América.

2002: A equipe feminina classificou-se em 7º lugar no 14º Campeonato Mundial, realizado na China.

2002: Hortência Marcari é indicada para o Hall of Fame (Memorial ou Sala da Fama), na categoria de jogadora. O Naismith Memorial Basketball Hall of Fame teve seu prédio inaugurado em 1968, em Springfield, Massachusetts – USA, próximo ao local em que se realizou o primeiro jogo de Basquetebol. Este memorial visa homenagear as pessoas e entidades que tenham contribuído de forma destacada para o desenvolvimento deste esporte.


Lembre-se, este site também é seu! Divulgando esta história, você trará mais visitas ao site e nos dará força para manter o mesmo sempre atualizado.

About Diamond